ENTREVISTA: Nem o Covid-19 cancelou o Carnaval de Canas de Senhorim

16/02/2021 17:44

A pandemia COVID-19 tirou o Carnaval de Canas de Senhorim das ruas e colocou-o online. Em 2021, a tradição manteve-se viva na vila. 

O Viseunow entrevistou os responsáveis dos dois bairros, Celeste Borges da União Cultural e Recreativa do Rossio e Ricardo Cruz da Associação Recreativa e Cultural do Paço.

Há um ano, tínhamos as ruas cheias de pessoas para assistir ao vosso tradicional carnaval. Como está a ser vivida esta ausência de pessoas?

Celeste Borges (CB): Sabemos perfeitamente que as pessoas não podem andar na rua e que não se poderiam deslocar. Claro que isso é vivido com muita tristeza e nostalgia porque nós gostaríamos muito de estar na rua a festejar, mas sabemos que isso é impossível. O coração está triste.

Ricardo Cruz (RC): Não está a ser fácil, eu próprio não consigo ainda acreditar que não vamos ter um carnaval na rua. Desde que me lembro, desde que nasci, saímos sempre com neve, chuva, tudo.

No entanto, este ano, vocês mantêm o vosso carnaval vivo, através da vossa página de Facebook. O que é que as pessoas podem ver por lá?

CB: Em primeiro lugar, quero dizer que o carnaval de Canas de Senhorim nunca seria cancelado, nem nunca será cancelado porque quer faça chuva, neve, sol ou granizo, nós saímos para a rua.

Tivemos naturalmente, de arranjar alternativas para conseguirmos viver um pouco o nosso carnaval e tem sido vivido de forma intensa. Através de despiques diários, com concursos de varandas e de máscaras e até concertos online. Tem sido vivido de todas as formas, em segurança e em casa. É outra forma de viver o carnaval que não substitui, nem nunca substituirá a forma física de estar no carnaval.

RC: Pensávamos que ninguém iria aderir, mas foi espetacular. Por exemplo, na noite de segunda-feira tivemos as atuações de Paracetamole e do DJ The Boss, onde estiveram mais de 1000 pessoas a assistir. A equipa do Carnaval.pt e a equipa da Officelan foram espetaculares.

Apesar disso, a consoada não vai passar em branco, vamos ter a batatada em take-away. Até agora o paço tem 150 pessoas inscritas para receberem em casa as batatas, o bacalhau, os grelos e a broa.

Hoje às 19h vai acontecer um grande despique, e as pessoas na varanda com ou sem som vão estar cada uma a berrar pelo seu próprio bairro.

Isto também mostra um bocadinho a união do vosso carnaval?

CB: Claro! Porque o nosso carnaval, como dizemos muitas vezes e continuamos a dizer, é único, não existe em mais lado nenhum. É um carnaval em que as pessoas trabalham por amor à camisola, ninguém está ali para receber dinheiro, nem nenhum ordenado. Toda a gente trabalha por amor ao seu bairro, tanto nós como os do bairro oposto.

Os marchantes, cada um paga o seu fato: uns gastam mais, outros gastam menos, mas toda a gente se une para que o seu bairro seja o melhor e brilhe da melhor forma. Portanto, também este ano não iríamos fazer de outra forma, teríamos de nos unir para mostrar ao mundo que o nosso carnaval é único. Não há nenhum carnaval neste país que substitua o nosso.

RC: Sim, nós discutimos sempre uns com os outros mas acabamos por nos entender. Não é fácil, nós dizermos às pessoas para ficarem em casa. Para mim não está a ser fácil, custa um bocado.

Também as vossas ruas e as vossas e as vossas varandas estiveram a condizer com a época.

CB: Claro! Não podendo vestir os nossos fatos na rua, estivemos com as nossas varandas enfeitadas com os nossos fatos de anos anteriores e com coisas que as pessoas criaram. As varandas de Canas de Senhorim estiveram na sua maioria todas cheias de cor, de brilho, de alegria que é aquilo que é importante no nosso carnaval: cor, brilho, alegria. O dinamismo que isto tem, não esteve nas ruas, mas esteve nas varandas.

E em em 2022 teremos uma energia renovada e redobrada em Canas de Senhorim?

CB: Eu espero que sim, até porque as pessoas estão ávidas, e tudo isto para elas foi um martírio muito grande. É um sentimento inexplicável, as lágrimas caem sem nós querermos. Ainda no outro dia, ia para a associação e senti que os olhos ficavam cheios de lágrimas porque, numa altura destas, nós estaríamos numa azafama e este ano estamos em casa parados.

RC:  Sim, em 2022 espero que já esteja tudo bem. Se as pessoas cumprirem o que as autoridades dizem, então em 2022 vai ser um carnaval de Canas de Senhorim em grande.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *