Mangualde: Concluída intervenção arqueológica no Dólmen da Cunha Baixa

09/07/2020 17:19

O Município de Mangualde concluiu a obra de intervenção arqueológica de restauro e conservação do Dólmen da Cunha Baixa, foi hoje divulgado.

Segundo o município, este monumento nacional teve de ser alvo de intervenção, devido aos danos provocados pelos incêndios, que ocorreram em 2018. A intervenção esteve a cargo da empresa Arqueohoje.

De modo a minimizar estes danos, os serviços de Arqueologia e Gestão do Património Cultural da Câmara Municipal de Mangualde efetuaram trabalhos de diagnóstico e levantamento de patologias para, em conformidade, propor medidas de minimização de impacto.

Entre vários trabalhos especializados, a intervenção de restauro e conservação consistiu na consolidação das áreas de desagregação granular e destacamentos em lasca de zonas com fissuras das estruturas pétreas, assim como preenchimentos dessas fendas e fissuras com os materiais em uso, nesta especialidade.

O Dólmen da Cunha Baixa é sepulcro colectivo monumental, com um corredor de acesso longo, não possuindo a mamoa (destruída), a qual deveria ser de grandes dimensões. Alguns dos seus esteios apresentavam pinturas, o que enriquecia o espaço sepulcral, e os objectos encontrados apontam para uma fase antiga do megalitismo da região, podendo incluir já a Idade do Bronze. O comprimento total do monumento é de 10,40 metros.

O Dólmen de Cunha Baixa foi construído no III milénio a. C. e, encostado ao Rio Castelo, marca vincadamente a planície e a paisagem envolvente. Integraria a malha megalítica da região: Orca dos Padrões, Orca dos Braçais, Orca de Alcafache, Anta da Senhora do Castelo, Orca dos Amiais, Orca da Carvalhinha, Orca da Fonte do Alcaide e Orca dos Palheiros.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *