Mangualde: Assembleia Municipal aprova Orçamento para 2023. IMI baixa para valores mínimos

28/12/2022 17:30

A Assembleia Municipal de Mangualde aprovou, esta terça-feira, 27 de dezembro, o Orçamento para 2023, no valor global de 34 973 473,00 euros.

Recorde-se que este orçamento e as Grandes Opções do Plano (GOP) 2023 já haviam sido aprovados em reunião de Câmara, no passado dia 28 de novembro, por maioria.

«O orçamento de 2023 da Câmara Municipal de Mangualde prevê um investimento de quase 16 milhões de euros e define claramente uma orientação estratégica para o próximo quadriénio», começa por destacar Marco Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

O Orçamento dá prioridade aos investimentos que se enquadram no atual quadro comunitário e que se encontram em execução, bem como à preparação e iniciação de um novo ciclo de financiamento, nomeadamente o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e o Portugal 2030.

Marco Almeida sublinha ainda que este orçamento «procura dar resposta aos grandes desafios que a sociedade atravessa, apoiando as famílias e os mangualdenses mais desfavorecidos, reforçando o investimento na vertente social e reduzindo impostos municipais. É ainda um orçamento que reforça investimentos em eixos estratégicos como a sustentabilidade, a modernização administrativa, a competitividade e a eficiência energética».

Uma das decisões que merecem maior destaque para a Autarquia, é que o IMI vai baixar para valores mínimos.

«As famílias, as pessoas, o bem-estar da nossa comunidade é e sempre será uma das nossas prioridades», acrescenta o Autarca.

Em 2023, o IMI vai ser reduzido para seu valor mínimo de 0,3%. «Com esta redução há um desagravamento fiscal para as famílias mangualdenses num ano de 2023 que se avizinha de grande dificuldade. As famílias, as pessoas, o bem-estar da nossa comunidade é e sempre será uma das nossas prioridades», acrescenta Marco Almeida.

Segundo nota da Autarquia, os eixos estratégicos prioritários são investimentos sustentáveis nas áreas da inovação, sustentabilidade dos recursos naturais (ciclo da água, proteção do ambiente, gestão dos recursos naturais e prevenção de riscos), o fortalecimento da qualidade de vida, a coesão social e territorial (transição digital, apoio às comunidades desfavorecidas, apoio social, recursos endógenos, entre outros).

«Face à atual conjuntura macroeconómica desfavorável, o orçamento e as Grandes Opções do Plano (GOP) 2023 estão também preparados para dar uma resposta eficaz à estratégia local de habitação, bem como a investimentos relacionados com a eficiência energética», complementam.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *