Hoje é Dia Nacional dos Centros Históricos Portugueses

28/03/2021 15:56

Este dia assinala-se, anualmente, a 28 de março, devido ao seu patrono, o historiador e escritor Alexandre Herculano, figura que se distinguiu por defender o património nacional e cultural e que nasceu neste dia, em 1810.

A Associação Portuguesa dos Municípios com Centro Histórico faz questão de celebrar, formalmente, esta data desde 1993, escolhendo todos os anos um município para realizar as comemorações oficiais. Para o efeito, foram escolhidos os municípios de Lisboa (1993), Trancoso (1994), Castelo de Vide (1995), Sintra (1996), Ponte de Lima (1997), Funchal (1998), Macau (1999), Santarém (2000), Lisboa (2001), Lamego (2002), Porto (2003), Lagos (2004), Tavira (2005), Santarém (2006), Coimbra (2007), Lamego (2008), Castro Marim (2009), Santarém (Vale de Lobos) (2010), Almeida (2011), Angra do Heroísmo (2012), Santarém (2013), Lagos (2014), Pedrógão Grande (2015), Alpiarça (2016), Tomar (2017), Machico (2018), Castelo de Vide (2019) e Tavira (2020).

De modo a assinalar esta data, é costume os monumentos e outros espaços dos centros históricos estarem abertos ao público sem qualquer custo, tentando desta forma promover atividades dinamizadoras que para além de colocarem os turistas em contacto com o passado e com a cultura, através de iniciativas como espetáculos musicais, teatrais ou de arte urbana, pretendem ainda chamar à atenção para a importância da preservação, revitalização e valorização destas zonas emblemáticas.

Quando houver oportunidade, pode visitar o centro histórico da cidade de Viriato, uma sugestão do Turismo Centro de Portugal.

Passeando pelo Centro Histórico de Viseu, cidade jardim, apanhamos o funicular para a zona ribeirinha, onde o antigo se mistura com o moderno e há inclusive um roteiro de Street Art. Esteja de olhos postos no chão, pois na calçada encontra esculpidos desenhos que contam a história da cidade, mas também nas janelas manuelinas. Não deixe de passar pelo Rossio, praça com uma esplanada bastante convidativa para contemplar um espantoso painel de azulejos. Por fim, faça uma paragem no Jardim das Mães, visite a Casa Museu Almeida Moreira e suba até ao Adro da Sé, onde se encontra a Catedral, o passeio dos Cónegos, a Igreja da Misericórdia, a Fonte das Três Bicas e ainda o Museu Grão Vasco, passando pela Porta do Soar.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *