Doentes em diálise já foram todos vacinados

11/03/2021 17:27

Todos os doentes em diálise e os médicos e enfermeiros que os acompanham foram vacinados em três dias contra a covid-19, segundo a Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN). Foram mais de 19 mil pessoas vacinadas sem registo de qualquer incidente, um processo que resultou da conjugação de esforços de entidades públicas e privadas. Passados 15 dias após a primeira vacinação, observou-se logo uma “descida muito significativa da mortalidade” dos doentes renais crónicos em diálise, afirmou o presidente da SPN, que falava a propósito do Dia Mundial do Rim, assinalado hoje.

Aníbal Ferreira reconheceu que esta população foi “extremamente atingida” no que respeita aos internamentos, à morbilidade e à mortalidade associada ao covid-19, sobretudo, depois do Natal e em janeiro. “Nas duas últimas semanas de janeiro observou-se 20% de toda a mortalidade por covid-19 nos doentes em hemodiálise e só na última semana de janeiro ultrapassou 10%”, elucidou. Realçou ainda que foi “claramente assumido” desde o início da pandemia que esta era a população mais vulnerável e a “mais prioritária” dentro dos prioritários por estarem em unidades com outros doentes e não poderem confinar, porque têm de se deslocar para ir fazer o tratamento três vezes por semana, além de serem transportados com outros doentes.

A pandemia também se refletiu no número de transplantes, que segundo Aníbal Ferreira, teve “uma queda enorme” em 2020, estimada em cerca de 50% a nível nacional. Contudo, houve unidades que conseguiram manter ou até aumentar o número de transplantes como o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, cuja unidade esteve sempre a funcionar.

No Dia Mundial do Rim, o presidente da SPN aproveitou para salientar que é preciso transmitir “uma mensagem de otimismo e de esperança, dizendo que esta é uma área em que estes doentes têm muitos apoios” e que se “pode viver bem com a doença renal”.

A doença renal crónica afeta um em cada dez adultos. Em Portugal, mais de 20.000 doentes estão dependentes de diálise ou transplante.

Fonte: DN/LUSA

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *