Salários, pensões, portagens, rendas: novo ano, novas contas

01/01/2023 14:00

A entrada em 2023 traz algumas alterações a que deve estar atento. O salário mínimo passa de 705 para 760 euros brutos, um aumento de 55 euros. Esta medida impacta em cerca de 25% da mão-de-obra no país.

Quanto à função pública, trabalhadores que auferem até cerca de 2600 euros mensais

recebem mais 52 euros. Já para os que ganham acima desse valor, o aumento será de 2%. O país tem, atualmente, cerca 740 mil funcionários públicos.

As pensões também aumentam entre 4,83% e 3,89% e o Indexante de Apoios Sociais (IAS) sobe 8,4%, alcançando os 480,43 euros. Assim, as pensões até 960 euros (dois IAS) sobem 4,83%. As que se situam entre 960 euros e seis IAS têm uma subida de 4,49%. Nas de valor superior, o acréscimo é de 3.89%. O rendimento de 440 euros de um pensionista passa para 461,25 euros; de 500 para 524 euros; e de 1300 para 1358,377 euros.

Os portugueses podem reformar-se aos 66 anos e quatro meses, menos 90 dias comparativamente a 2021, e o pedido de reforma antecipada tem, em 2023, uma penalização mais reduzida.

Há, ainda, outras alterações que se fazem sentir nos bolsos dos portugueses. As portagens, por exemplo, têm um aumento de 4,9%. Pelo distrito de Viseu passam a A25 ou Autoestrada das Beiras Litoral e Alta que, numa extensão de 199km, liga a cidade de Aveiro à da Guarda; e a A24 ou Autoestrada do Interior Norte que, ao longo de 162km, conecta Viseu a Chaves. Num veículo ligeiro, o percurso entre Aveiro e Guarda, custa entre 6,30 e 7,65 euros. O de Viseu a Chaves fica entre 6,35 e 6,75 euros.

Outras subidas de nota são as da eletricidade no mercado regulado (+1,6%) e no mercado liberalizado (cerca de +3%). O gás também regista um aumento que ronda os 3% e o teto das rendas fixa-se num incremento até 2%.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *