Diocese de Viseu volta a dar apoio aos peregrinos que se deslocam para Fátima

14/04/2024 09:54

O Movimento da Mensagem de Fátima, da Diocese de Viseu, volta, este ano, a dar apoio voluntário aos peregrinos que se deslocam até Fátima, entre os dias 4 e 8 de maio.

Até agora, já há 300 peregrinos inscritos que, além da dormida, no Seminário de Viseu, vão usufruir gratuitamente de cuidados de higiene, saúde (médicos e enfermagem), alimentação e apoio religioso, com a reza do terço e a celebração da eucaristia.

De acordo com a presidente do Movimento da Mensagem de Fátima, Isabel Martins, os grupos de peregrinos vêm da região centro norte do país e vão ter disponível apoio dado em várias vertentes, prestado por dezenas de voluntários, desde médicos, enfermeiros, estudantes de enfermagem, fisioterapeutas e massagistas, provenientes da Escola Superior de Saúde de Viseu e do Instituto Piaget, bem como de profissionais da Associação Católica de Enfermeiros e Profissionais de Saúde (ACEPS). Também o apoio espiritual está assegurado com os párocos da Diocese.

«Todos os anos apoiamos os peregrinos a pé. Damos sempre uma refeição e, no caso de ser mais do que uma, damos sempre uma sopa nutritiva e o pequeno-almoço. Independentemente das horas a que saem daqui, vão sempre com o pequeno-almoço tomado», assegura.

Como todo o trabalho é voluntário, é graças à colaboração com empresas locais que conseguem prestar esta ajuda, através da doação de alimentos e de produtos de saúde, para os curativos, fornecidos pelas farmácias.

De acordo com a presidente, continuam a aceitar géneros alimentícios, nomeadamente legumes, e, caso alguém queira colaborar, pode entregar diretamente no Seminário de Viseu ou entrar em contacto com a responsável através do email viseu.mmf@gmail.com.

De ano para ano, o Movimento tem apostado na qualidade do serviço voluntário prestado, o que lhe tem valido o reconhecimento, tanto por parte dos peregrinos que por lá passam, como do próprio Santuário de Fátima. «O testemunho que temos de Fátima e dos peregrinos é que nós temos tudo muito bem organizado e que é o melhor apoio que têm», realça Isabel Martins, destacando que a ajuda prestada só é possível graças à envolvência da comunidade.

«Temos conseguido envolver a comunidade, que colabora tanto com o que é necessário para prestarmos os cuidados de saúde como com os alimentos para as refeições», afirma, alertando que, sempre que é pedido algum apoio, é feito, antecipadamente, através de um comunicado oficial do Movimento.

A responsável reconhece, ainda, que este serviço prestado aos peregrinos «só é possível com a colaboração de todos os voluntários e dos responsáveis do Seminário que estão sempre disponíveis».

Para os peregrinos que vão este ano a Fátima a pé, Isabel Martins pede que sejam incentivados a fazer uma peregrinação e não uma caminhada, defendendo que, para isso, é muito importante que os guias tenham a devida formação.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *