CP – Comboios de Portugal com novo Conselheiro para o Cliente com Necessidades Especiais

31/01/2024 13:05

Entrou em funções o novo Conselheiro para o Cliente com Necessidades Especiais da CP, Diogo Martins, de 34 anos, em substituição do Tenente-Coronel António Neves que ocupou o cargo durante 19 anos.

A figura de conselheiro tem como objetivo assessorar em práticas que defendam e promovam a acessibilidade aos serviços da CP por todos os cidadãos. 

Diogo Martins que, desde 2012, participou em vários testes de acessibilidade em material circulante da CP, tendo também integrado as reuniões do Conselho Consultivo para Pessoas com Necessidades Especiais da empresa, é um apaixonado pela ferrovia e Embaixador para a #DiversityInTransport. Atua como especialista em acessibilidade, nomeadamente aos comboios e, ao longo dos anos, tem participado em vários projetos, incluindo europeus, com vista a melhorar os serviços e a acessibilidade aos serviços de transporte público e a promover a inclusão de pessoas com deficiência. Sofre de Distrofia Muscular Congénita de Ullrich, uma doença rara e progressiva.

«Ser nomeado para Conselheiro para o Cliente com Necessidades Especiais é muito importante a nível pessoal, ao reconhecer uma vida de trabalho dedicada a melhorar a acessibilidade aos transportes públicos, mas também por esta ser a empresa na qual a minha paixão por comboios nasceu e cresceu. Não se trata meramente de gostar de comboios, trata-se de entender que o setor dos transportes públicos, e em especial, o ferroviário, será essencial para o futuro da humanidade», afirma Diogo Martins, que quer ajudar a tornar os serviços mais «acessíveis e inclusivos». 

«É aqui que acho que este cargo faz toda a diferença, ao mostrar uma visão de diversidade e inclusão, nomeando-se pela segunda vez uma pessoa com deficiência», aponta.

Os primeiros objetivos, enquanto Conselheiro, passam por identificar oportunidades de melhoria e ouvir e envolver as pessoas, traçando prioridades de curto, médio e longo prazo. Diogo Martins diz que tem encontrado na CP «abertura para mudar o que é necessário» e, sobretudo, «vontade de fazer» e de «fazer bem».

Do lado da empresa, a CP – Comboios de Portugal refere que «tem vindo a reforçar o compromisso com a inclusão dos clientes, num esforço contínuo para tornar o transporte ferroviário numa experiência acessível, confortável e segura para todos os passageiros».

Mais rampas nos comboios e várias melhorias de acessibilidade são algumas das medidas prioridades. Até ao final de janeiro está previsto que o total das 34 unidades dos Urbanos do Porto estejam já munidas com novas rampas de acesso. No mesmo período, na Linha de Cascais, a totalidade dos comboios ficará equipada com rampas portáteis, eliminando assim as restrições horárias no serviço SIM – Serviço Integrado de Mobilidade para Clientes com Necessidades Especiais, sempre que este era assegurado pelos trabalhadores CP nas estações.

Até ao final de março, a meta é que 45 automotoras da Série UTE 2240, que circulam na rede eletrificada no serviço regional e também estão afetos ao serviço urbano de Coimbra-Figueira da Foz via Alfarelos e Linha do Sado, estejam equipados com elevador de acesso, o que permitirá embarque e desembarque em qualquer estação.

Para os comboios de dois pisos dos Urbanos de Lisboa foi, também, desenvolvido um novo sistema de fixação da rampa ao comboio, para evitar que as rampas se movam durante o embarque e desembarque, aumentando assim a segurança desta operação.

A CP está ainda a atualizar, progressivamente, em vários dos seus comboios, os botões de comando do WC e das portas de acesso, tornando-os mais intuitivos e mostrando informação relevante no que toca ao estado (por exemplo, WC livre ou ocupado).

Nas carruagens dos Intercidades, além do sistema sonoro de informação aos passageiros, vai existir, ainda, informação visual no interior e exterior (como destino, paragens, mensagens de alerta, etc).

Os novos comboios que estão a ser adquiridos pela CP já cumprem, integralmente, as normas europeias relativas ao transporte ferroviário de passageiros de mobilidade reduzida.

A par destas, e de outras, melhorias implementadas no material circulante, a CP vai lançar, em 2024, um novo site que trará melhorias ao nível da acessibilidade, e uma nova app.

Nos últimos anos, a CP tem vindo a reduzir a antecedência necessária para requisição da assistência SIM – que passou de 48 para 24 horas, depois para 12, e que, desde o ano passado, é de seis horas. O objetivo é continuar a diminuir este período.

Em 2024, a CP terá, também, novas máquinas de venda automática que serão acessíveis e de mais fácil utilização, além de que venderão todos os serviços.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *