ACERT abre temporada com estreia de “RH” – Revolução Humana

06/04/2024 11:45

A ACERT celebra o marco histórico dos 50 anos do 25 de Abril com uma temporada que vai de abril a julho e que inclui cinco espetáculos em estreia, seis concertos de estilos bem variados, mais uma série de peças de teatro para todos os gostos, oficinas, e ainda sessões pensadas para as famílias e as escolas.

“Este não é apenas um momento de celebração desta data repleta de significado, é também uma oportunidade de reflexão profunda sobre os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, que nasceram dessa transformação social e política”, salienta a direção em comunicado.

O início da temporada é marcado pela estreia de “RH” pela VO’ARTE / CIM Companhia de Dança, no dia 6 de abril, às 21h45. Com arranjos de Jorge Queijo, a música da peça é da autoria de José Mário Branco. “RH” emerge de uma residência artística que engloba a comunidade de Tondela e inclui a participação de pessoas portadoras de deficiência, prometendo uma experiência de teatro e dança que questiona e comove.

O ponto alto da programação musical de abril é a celebração da revolução, no dia 24 de abril, com o concerto “As Portas Que Abril Abriu”, programado para as 21h45. Este é um tributo à música de intervenção que marcou a luta pela liberdade e democracia em Portugal. Um concerto que reúne músicos e vozes diversas para recriar canções icónicas que se tornaram hinos de uma era, no sentido de relembrar e reavivar o fervor e a esperança que caracterizaram a revolução. Através deste espetáculo, a ACERT convida o público a revisitar momentos históricos fundamentais, refletindo sobre o poder da música como forma de protesto e expressão de ideais.

No âmbito do Teatro, segue-se “Mulheres” pelo grupo de Teatro da Escola Secundária de Tondela, Na Xina Lua, que tem sua estreia no palco da ACERT a 30 de abril, às 21h45. Este espetáculo oferece um olhar sobre as histórias de coragem feminina, abordando as lutas pela igualdade de género e destacando a resiliência das mulheres através dos tempos. A peça é um tributo às vozes que não se calaram e uma lembrança das batalhas que ainda precisam ser vencidas.

Uma das principais novidades desta temporada é a estreia de “25 de Abril: A Divina Surpresa” pelo Trigo Limpo teatro ACERT, apresentada a 25 de maio, na ACERT, às 21h45. Esta proposta celebra o legado da Revolução dos Cravos e o centenário de Eduardo Lourenço, misturando teatro, música e poesia numa homenagem viva à liberdade e à transformação social. É uma peça que reflete sobre como os ideais de Abril continuam a inspirar e a desafiar a sociedade portuguesa.

“Circo Musicado” é uma estreia que combina o talento circense com a magia da música ao vivo, prevista para 29 de maio, no Jardim ACERT. O espetáculo, que será resultado de uma residência artística que acontecerá entre 22 e 28 de maio, promete encantar o público com performances acrobáticas e melodias envolventes, destacando a versatilidade e a criatividade dos artistas envolvidos. Esta apresentação do INAC – Instituto Nacional das Artes de Circo é uma Coprodução Novo Ciclo ACERT, Casa da Cultura de Santa Comba Dão e Teatro Municipal da Guarda.

A temporada teatral também inclui “antiAquário” uma criação da companhia Cem Palcos & Teatro do Montemuro, com texto de Sandro William Junquiera, que será apresentada no dia 4 de maio, às 21h45. Este espetáculo é uma viagem ao coração das relações humanas, explorando com humor e profundidade as nuances das amizades e dos conflitos.

“Teias e Odisseias”, apresentado pela Cem Palcos a 8 de junho às 11h00 no Jardim ACERT, oferece uma reinterpretação criativa da clássica “Odisseia” de Homero. Este espetáculo para famílias utiliza uma roulotte como palco para contar histórias de aventura, saudade e desafio, entrelaçando episódios épicos com figuras femininas icónicas. A produção fomenta o diálogo e a reflexão sobre a força e a presença das mulheres na história e na atualidade, envolvendo o público numa jornada emocionante de descoberta e empatia.

A temporada musical deste trimestre inicia-se com uma estreia imperdível, “Aerograma Liberdade. Uma Carta Concerto” pelo grupo Taleguinho, no dia 13 de abril às 11h00. Este concerto especial para famílias é uma viagem pela história de Portugal desde os anos 60 até ao emblemático 25 de Abril, usando a leitura de aerogramas ficcionados para narrar a história de uma família e, por extensão, do país. É uma forma inovadora de conectar gerações ao legado do 25 de Abril, através da música e da palavra.

Continuando a celebração da diversidade musical e liberdade, a música enche os espaços da ACERT com performances que prometem envolver o público numa variedade de experiências auditivas. Daisy Capital Hotel e Ana Mariano trazem os seus ritmos ao Bar ACERT em noites de café-concerto, respetivamente nos dias 13 e 20 de abril, ambos às 23h00. Enquanto o Daisy Capital Hotel oferece uma fusão de sons indie e alternativos, Ana Mariano encanta com a sua voz doce e melodias que falam ao coração, numa celebração da música portuguesa contemporânea.

Na noite de 24 de abril, em ritmo de celebração da revolução, às 23h00, retoma-se a rubrica Santos da Casa Fazem Milagres com “Abril ao Tom’deles”, uma visão renovada e contemporânea sobre o 25 de Abril, através dos olhos da nova geração. Este espetáculo combina música, poesia e narrativas pessoais para explorar como os valores e sonhos da Revolução ressoam hoje. Jovens artistas trazem as suas interpretações e reflexões, criando um diálogo entre o passado e o presente, e questionando o legado de Abril na sociedade atual.

Galgo sobe ao palco do Bar ACERT no dia 18 de maio, às 23h00, para uma noite de música que combina elementos de math rock, dance-rock e post-rock. É uma performance que promete desafiar as convenções e surpreender o público com sua energia e inovação.

“Neto do Zé Preto” e “Fade Out” encerram o mês com suas atuações no Bar ACERT, nos dias 22 e 29 de junho, respetivamente, ambos às 23h00. Enquanto o Neto do Zé Preto, inserido também na rubrica Santos da Casa Fazem milagres, traz um repertório cheio de emoção e histórias contadas através da música, Fade Out promete uma noite vibrante com clássicos do rock que atravessam décadas.

As oficinas são, sempre, espaços para a aprendizagem criativa e o desenvolvimento do pensamento crítico. Joana Rita Sousa regressa à ACERT com as oficinas Filocriatividade, que se apresentam como uma prática da vida em democracia. “Identidade – És Livre Para Escolher Quem És?”, nos dias 29 e 30 de abril, servirá para praticar o diálogo e partilhar pontos de vista distintos – exercendo a liberdade para pensar.

“Bases Técnicas do Circo” é uma oficina levada a cabo pelo INAC, no dia 25 de maio, que servirá para os participantes porem em prática exercícios introdutórios nas quatro bases técnicas do circo: aéreos, equilíbrio, manipulação e acrobacia.

Até 28 de abril a Galeria ACERT continua com a mostra “Retalhos”, de Tiago Sami Pereira. Uma jornada pelas vivências e pensamentos do artista onde cada elemento conta uma história.

De 8 a 22 de maio realizar-se-á a sétima edição do International School Cartoon Festival, organizado pelo Agrupamento de Escolas de Tondela Cândido de Figueiredo que celebra o tema da liberdade através do humor satírico, com mais de dois mil cartoons recebidos provenientes de 80 países.

A galeria renova-se com a mostra “Das labaredas, o vento por entre as carcaças”, de José Cruzio, entre 25 de maio e 29 de junho. Este trabalho nasce dos ensaios visuais e fotografias de “Erased Lands” realizados pelo artista nas zonas de Benagouro e Samardã-Vila Real, após os incêndios.

Os bilhetes para os espetáculos desta temporada já estão disponíveis em acert.bol.pt ou na bilheteira física da ACERT. Toda a programação está em constante atualização no site da ACERT em acert.pt.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *